A Arte de Amar: É um estilo de vida fundamentado nos ensinamentos do Mestre de Nazaré que viveu para nos ensinar o amor na mais alta dimensão, que dá a real dignidade do ser humano, nos modos mais diferentes onde quer que nos encontremos: em casa , na rua, no trabalho, no lazer e em todas as dificuldades da vida. Então, tudo o que Ele ensinou foi que temos um Pai nos Céus e logo somos irmãos uns dos outros. Ele sempre insistiu que podemos conseguir tudo aquilo que precisamos se vivermos o amor entre nós; e quando parecer impossível essa conquista, Ele ainda deu outra pista: “Pedi e recebereis”. É bom recordar que no final dessas orientações Jesus acrescenta: “O que vos mando é que vos ameis uns aos outros”. Agora, para entendermos como praticar a Arte de Amar vamos escrever seis frases que expressam o pensamento do Mestre de Nazaré, que expressam o verdadeiro amor. 

Amar por primeiro:  Significa ser o primeiro a tomar a iniciativa no amor ao outro. Por exemplo, se estou na sala de aula, então, para colocar em prática essa frase, eu devo ser o primeiro a colaborar no bom andamento da aula: ter atenção ao professor, acompanhar as tarefas escolares com a máxima concentração e isto deve me ajudar a escrever as lições, perguntar quando não entendo, enfim, participar de cada etapa da aula; como professor eu devo ter preparado bem minha aula, pensando sempre nos meus alunos, naqueles assuntos que vão ter interesse em aprender. Outro exemplo, quando estou em casa devo ajudar nos trabalhos domésticos, assim, dou minha contribuição no meu lar (aqui se pode citar várias atividades práticas da casa...). Se meu pai ou minha mãe precisam de ajuda, eu logo devo me oferecer, sendo o primeiro a amar. (Podem ser dados muitas sugestões, desde um bom dia... até as ajudas aos colegas que têm dificuldades para assimilar certos conteúdos).

Amar a todos:  O verdadeiro amor me leva a amar a todos, olhar todos com igualdade; aprender a conviver com o diferente; ninguém é menor ou maior que ninguém; todos merecem o meu amor, a minha atenção. Significa não ficar escolhendo as pessoas para fazer o bem. Na escola, devo fazer todas as tarefas escolares, de todas as disciplinas; devo amar o simpático e antipático, o bonito e o feio, o grande e o pequeno, a criança e o adulto. Em casa, devo me esforçar para amar meus parentes, meus vizinhos, abrir o diálogo com aqueles que me parecem difíceis no relacionamento.

Amar o inimigo:  O amor verdadeiro ama até mesmo os inimigos. Porque é um amor totalmente cristão! Foi Jesus quem disse: “ Amai os vossos inimigos e orai por eles, por aqueles que vos caluniam; fazei o bem a quem vos faz o mal.” Por exemplo, se estou jogando e meu colega me dá um ponta pé, eu não devo fazer o mesmo; e se me acontecer de cometer uma falta, devo logo pedir desculpas. Esse tipo de amor vence as barreiras e nos mostra que o amor deve vir  em primeiro lugar; o verdadeiro amor não julga os outros. O julgamento é o maior alimento do ódio. Para combater o ódio, devemos exercitar o amor ao inimigo. Isto é uma prova de respeito à altíssima dignidade humana. Desse modo estaremos construindo um Mundo mais unido. Começando na sala de aula, no recreio, em casa, na rua e no trabalho.  

Viver o amor recíproco: O verdadeiro amor faz circular as boas ações e nos leva a retribuir o amor recebido. Por exemplo, se alguém me cumprimenta com boa dia, boa tarde...eu devo retribuir respondendo, acrescentando ainda um olhar carinhoso ( acompanhado de um sorriso, uma palavra amiga...). Quando várias pessoas vivem o amor, esse amor se torna recíproco. Outro exemplo, se alguém me ajuda na tarefa escolar, ou fazer um trabalho que estava difícil realizá-lo sozinho, eu devo retribuir ajudando os outros naquilo que eles precisam. É o amor que vai e que vem.

Ver Jesus no outro: O Amor verdadeiro tem sua fonte em Deus, por isso que Jesus disse: “ Tudo aquilo que fizeres a qualquer um desses meus irmãos, de bom ou de ruim, saibam que estão fazendo a mim.” Isto nos faz lembrar de que até mesmo aquele criminoso ou assaltante preso ou na rua é Jesus. Ele precisa de meios que O ajudem a se recuperar e a ter atitudes honestas. Um dia, ainda vamos ter um Mundo em que não teremos mais criminosos, nem assaltantes, porque desde criança todos vão aprender a amar. É um amor que tem abertura e universalidade. Desse modo, a professora é Jesus com o nome de... meu colega é Jesus com o nome de... minha mãe, meu pai, meu irmão, minha irmã são Jesus com nomes diferentes. 

Fazer-se um: O verdadeiro amor também se coloca no lugar do outro para entender como gostaria de ser tratado, de ser amado. Esse tipo de amor entra na pele do outro, se faz um com o outro em tudo, menos naquilo que é desonesto. Fazer-se um significa assumir para si as dores e as alegrias do outro. Por exemplo, se um faz aniversário, eu devo me alegrar com essa pessoa como se o aniversário fosse meu, fazendo festa! Se um está triste, eu devo entrar na tristeza dessa pessoa, tomando sua dor como sendo minha. É a capacidade empática a ser exercitada. Eis aqui a famosa Regra de Ouro encontrada em todas as religiões: “ Fazer aos outros tudo aquilo que eu gostaria que fizessem a mim; e não fazer aos outros tudo aquilo que eu não desejo a mim”.